A revista ambiente e educação acaba de publicar seu primeiro número de 2016, e assim atualizando suas edições (v. 21, n. 1 (2016))
 

AMBIENTE & EDUCAÇÃO - Revista de Educação Ambiental

 
A Revista Ambiente & Educação foi criada, em 1996, como espaço de discussão no Programa de Educação Ambiental da FURG. Trata-se de uma revista semestral que pretende agregar, articular, aprofundar e divulgar concepções e práticas na construção dos saberes sobre o meio ambiente, especialmente visando construir uma perspectiva educativa que sustente a diversidade e a complexidade da problemática contemporânea
 

 

 

Para acesso à carta, CLIQUE AQUI

Aula Pública do Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental (PPGEA/FURG)

Dia: 04 novembro de 2016, às 14 horas no pav. 4, auditório 4115.

Tema: O lugar da Educação Ambiental no contexto atual

Roteiro da atividade: O que é o PPGEA? O que é a educação ambiental? E o processo de seleção – edital 2017 (mestrado e doutorado).

Proposição: Coordenação do PPGEA, professores/as e acadêmicos.

 

 Para mais informações, CLIQUE AQUI

 

O programa de pós-graduação em Educação Ambiental abre seleção MESTRADO e DOUTORADO para 2017. Mais informações sobre as linhas e outros procedimentos nesta mesma página.

 

CONFIRA OS EDITAIS CLICANDO NOS LINKS ABAIXO

 

MESTRADO

 

DOUTORADO

ANFOPE

ASSOCIAÇÃO NACIONAL  PELA FORMAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO

                                                      

MANIFESTO CONTRA A MEDIDA PROVISÓRIA N. 746/2016

A ANFOPE – Associação Nacional pela Formação dos Profissionais da Educação – vem a público manifestar-se contra a Medida Provisória nº 746, de 22 de setembro de 2016, que, a pretexto de instituir uma política de fomento à implementação de escolas de Ensino Médio em tempo integral, desorganiza esse nível de ensino, ignorando as discussões anteriores e aquelas em andamento no Brasil sobre os rumos da educação, constituindo grave ameaça à qualidade do Ensino Médio e à formação da juventude brasileira. A MP n. 746 altera a Lei nº 9.394/1996 e a Lei nº 11.494/2007. Esta última regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, o que, na prática, configura um retrocesso de décadas, ao instituir, sob o argumento da flexibilização, o aligeiramento e a precarização desse nível de ensino, descaracterizando a oferta de um Ensino Médio como educação básica e direito de todos.

A ANFOPE afirma que uma reforma imposta por medida provisória é uma atitude autoritária, irresponsável e inadequada para definir políticas educacionais, pois desconsidera o conhecimento acumulado sobre o Ensino Médio, impossibilita o diálogo com as instituições formadoras e entidades científicas do campo da educação, contrariando os princípios do processo democrático. A instalação de uma reforma desse vulto deve necessariamente ser antecedida de debates e embates que incluam, em especial, os profissionais da educação e suas entidades representativas, bem como os estudantes ─ sujeitos da educação.  

A ANFOPE repudia o ataque frontal empreendido à formação e à valorização dos profissionais da educação, uma vez que a MP, ao instituir a contratação de pessoas sem formação específica para o exercício da docência, sem concurso público de provas e títulos, desde que tenham alegado “notório saber”, reforça a desqualificação e a desprofissionalização dos professores, com impactos negativos na qualidade do ensino aviltando, sobretudo, a formação, a carreira e os salários do magistério.

A ANFOPE repudia, ainda, a subordinação às normas e regulações de uma Base Nacional Comum Curricular (BNCC) ainda não aprovada e cuja versão atual impõe uma padronização curricular que não assegura os princípios garantidos pela Constituição Federal (1988), pela Lei N. 9.394/1996 e pelas metas e estratégias do PNE (2014-2024). A MP desconsidera as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (Resolução CNE/SEB 2/2012), ignora ainda o Pacto Nacional pelo Ensino Médio e o Plano Nacional de Educação, demonstrando falta de conhecimento da realidade concreta das escolas brasileiras e dos estudantes de nível médio, configurando-se como uma ameaça à educação básica pública, estatal, gratuita e de qualidade social.

Apoiando as manifestações do Movimento Nacional pelo Ensino Médio, do qual é integrante, a ANFOPE repudia um projeto pedagógico-educacional voltado para adolescentes e jovens que exclui do currículo as disciplinas de Artes, Educação Física, Filosofia e Sociologia, negando-lhes o direito ao conhecimento geral e comprometendo sua formação, a qual deveria ser integral, crítica e cidadã, assegurando-lhes o pleno desenvolvimento intelectual, afetivo, físico, moral e social, com base em princípios éticos e políticos que oportunizem sua emancipação. A proposta de tempo integral apresentada, reduzida a um simples aumento da carga horária de determinadas disciplinas, não contempla a concepção de educação integral.

A fragmentação do ensino médio em “itinerários formativos específicos” fere o direito ao conhecimento para a ampla maioria dos estudantes que se encontra no Ensino Médio público, tendo como falsa justificativa um currículo mais flexível e atraente para o aluno, que vá reduzir as taxas de evasão. Isso, de fato, vai aprofundar a dualidade do Ensino Médio e o aparthaid social dos jovens pobres, negando-lhes a oferta desse nível em igualdade de condições, favorecendo ainda mais a mercantilização do ensino.

Essa é mais uma medida autoritária de um governo ilegítimo que, irresponsavelmente, ameaça a institucionalidade democrática, reduz o direito à educação e nega a luta, a mobilização e as conquistas históricas das entidades que defendem a formação do professor da educação básica na universidade.

A ANFOPE conclama forte mobilização contra a MP n. 746/2016, ao mesmo tempo em que reforça seu compromisso com a qualidade da educação e da formação e valorização dos professores, bandeiras que publicamente defendemos e assumimos.

Goiânia, 12 de outubro de 2016.

 

Caros leitores,


A revista REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental acaba de publicar seu último número, disponível em https://www.seer.furg.br/remea. Convidamos a navegar no sumário da revista para acessar os artigos e outros itens de seu interesse.

Agradecemos seu interesse e apoio contínuo em nosso trabalho.

REMEA 

PEC-PG

Programa irá conceder até 100 bolsas de doutorado para estrangeiros

Publicado: Sexta, 07 Outubro 2016 12:05 | Última Atualização: Sexta, 07 Outubro 2016 12:05

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) divulga nesta sexta-feira, 7, o edital º 23/2016, referente à seleção de candidaturas para o Programa Estudantes-Convênio de Pós-Graduação (PEC-PG). O objetivo do programa é formar recursos humanos para que cidadãos oriundos de países em desenvolvimento, com os quais o Brasil mantém acordo de cooperação educacional, cultural ou de ciência e tecnologia, possam realizar estudos de pós-graduação stricto sensu em instituições de ensino superior brasileiras.

Serão concedidas até 100 bolsas em IES brasileiras públicas ou privadas, de modo a fornecer a capacitação necessária para que o estudante-convênio possa contribuir para o desenvolvimento de seu país.

Aqueles que cumprirem os requisitos descritos no edital têm até 25 de novembro para realizar a inscrição e enviar a documentação exigida. O resultado está previsto para ser divulgado até 31 de dezembro e as atividades iniciadas a partir de fevereiro de 2017.

Os candidatos selecionados recebem bolsa de doutorado, passagem aréa de retorno à capital do país de origem ou de residência do estudante-convênio, isenção de pagamento de mensalidades ou de qualquer espécie de taxa no âmbito acadêmico, assistência médica, odontológica e farmacêutica pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
 
 

A Coordenadora Adjunta do PPGEA, Profa. Dra. Paula Henning, esteve em intercâmbio de estudos na Universidade de Murcia, na Espanha na semana do dia 19 de setembro. Lá esteve em contato com o Prof. Antônio Campillo, Diretor da Faculdade de Filosofia. Após apresentação do Programa de Pós-Graduação de nossa Universidade organizou-se ações e encaminhamentos para firmar o convênio entre o PPGEA e o ProgramaInteruniversitário de Doutorado em Filosofia e do Mestrado Universitário emFilosofia Contemporânea e seus Pressupostos Históricos da Universidade de Murcia. Além disso, estabeleceu-se relações entre o Grupo de Pesquisa Educação, Cultura, Ambiente e Filosofia da FURG e o Grupo de Pesquisa Filosofia e Mundo Contemporâneo da referida universidade espanhola. Com essas articulações caminhamos para um processo de internacionalização do PPGEA com a Universidade de Murcia na Espanha. 

 

Em deliberação na reunião geral dos professores e alunos/as do PPGEA, e referendada pelo colegiado, se constitui uma comissão que estudará e analisará ajustes e atualizações do PPP (Projeto Político Pedagógico), de seu regimento interno bem como das informações da plataforma SUCUPIRA. O PPP e o regimento estão na pagina e podem ser acessados, já para acesso ao documento SUCUPIRA - CLIQUE AQUI

Coordenação PPGEA

 

Coordenador do PPGEA realizará conferência no Uruguay, no centro regional este (CURE) em evento institulado: III Jornadas Interdisciplinarias en Biodiversidad y Ecología (III JIBE), para acessar mais informações: http://www.cure.edu.uy/?q=conferencias

 

A bibliotecária Cibele Dziekaniak comunica que a Sala Verde está em novo espaço (sala que era da antiga PROEXC no CC), contando inclusive com uma sala de estudos com computador para os alunos. Informa ainda que durante seu afastamento está coordenando o espeço a bibliotecária Alessandra Lemos, que  assumiu no mês de setembro a coordenação da sala em tempo integral. E-mail: ale.lemos@gmail.com 

 SalaVerde
 

O Nós do Sul - Laboratório de Estudos e Pesquisas sobre Identidades, Currículos e Culturas - FURG convida para

Palestra "Neoliberalismo e Educação: uma análise de conjuntura"

A ser proferida pelo Reitor da UFPEL - Prof. Dr. Mauro Del Pino

Dia 26/09

Hora: 19h

Local: Auditório da SEaD/FURG

mauro del pino 1

 

O Instituto de Biologia (IB) da UFPel, em parceria com a Embrapa Clima Temperado e com a Fundação Zoobotânica, realizará o I Congresso sobre o Bioma Pampa: reunindo saberes, que ocorrerá de 3 a 6 de outubro, na sede da Embrapa do Monte Bonito, em Pelotas.

O evento tem como objetivo reunir saberes e fortalecer um espaço de discussão sobre o presente e o futuro deste Bioma nos seus mais diferentes aspectos, respeitando as iniciativas já existentes.

Para o diretor do IB, Althen Teixeira Filho, o subtítulo do tema do congresso justifica sua relevância. “Reunindo saberes significa reconhecer todos os saberes que trabalham para a salvaguarda do Bioma Pampa. Não se quer primazia nenhuma, senão a união destes saberes,” explica.

O tema é vasto, exigindo da organização do evento a realização de várias atividades pré-congresso nos quais foram debatidos temas como abastecimento hídrico e saneamento básico, transgênicos, o código florestal, a Lei de Biossegurança e questões ligadas à preservação das áreas de mata nativa e de campo.

O evento contará com profissionais de diversas áreas, como agrônomos, engenheiros florestais, oceanógrafos, agricultores, artesãos, entre outros. No dia 5 ocorrerá uma plenária reunindo ONGs relacionadas à área ambiental e o Centro de Estudos Ambientais (CEA). “Esta plenária tem a finalidade de reunir as informações que cada organização traz que, por vezes, encontram-se tão dispersas,” informa Teixeira Filho.

O Pampa gaúcho foi reconhecido como Bioma, ou seja, um conjunto de ecossistemas que agrega imensa diversidade de fauna e vegetação, somente em 2004. A grande preocupação das instituições ambientais se debruça sobre as potencialidades e fragilidades desta região que sofre com o uso inadequado dos recursos naturais, o crescimento do cultivo de árvores exóticas e as grandes áreas de monocultura.

Teixeira Filho explica que o evento tem como missão alertar a população sobre o constante envenenamento da água e do solo causado pelos agrotóxicos. “Está surgindo um novo veneno agrícola, o 2,4-D, componente do ‘agente laranja’, usado na Guerra do Vietnã, extremamente potente e que estará afetando os rios e o solo, assim como o Glifosato, ao qual a população já está sujeita em níveis elevados de exposição,” alerta o professor.

O Congresso conta com o apoio do Ministério Público Estadual e da Fepam. O evento é aberto ao público e o valor da inscrição é R$20,00. A programação completa encontra-se no site do evento, http://wp.ufpel.edu.br/pampa.

A Embrapa Clima Temperado localiza-se na Rodovia BR-392, Km 78, 9º Distrito, Monte Bonito, Pelotas/RS.

 

CLIQUE AQUI, para maiores informações.

 

Caros leitores,

A revista AMBIENTE & EDUCAÇÃO - Revista de Educação Ambiental acaba de publicar seu último número, disponível em https://www.seer.furg.br/ambeduc.

Convidamos a navegar no sumário da revista para acessar os artigos e outros itens de seu interesse.

 

“Os significados da Educação Ambiental presentes no Ensino da Contabilidade nos Cursos de Ciências Contábeis de Instituições Federais de Ensino Superior do Rio Grande do Sul

BANCA EXAMINADORA: 

 

Profª. Drª. Elisabeth Brandão Schmidt (Orientadora PPGEA/FURG)

Profª. Drª. Maria do Carmo Galiazzi (PPGEA/FURG)

Prof. Dr. Luis Fernando Minasi (PPGEA/FURG)

Prof. Dr. Ernani Ott (UNISINOS)

Profª. Drª. Fernanda Gomes Victor (UFRGS)

 

DATA: 27 de Setembro de 2016, às 14hrs

         SALA: Sala de Webconferência da SEaD - Campus Carreiros - FURG

FURG abre edital para curso de Especialização em Educação Ambiental

A FURG através do SIPOSG (Sistema de Inscrições de Cursos de Pós-Graduação) abre edital para o Curso à Distância de Especialização em Educação Ambiental. São previstos alguns encontros presenciais obrigatórios durante o curso. Serão 80 vagas para os municípios de Novo Hamburgo, Sapiranga, Picada Café e Santo Antônio da Patrulha.

Para maiores informações sobre o Edital, acesse aqui http://www.siposg.furg.br/curso/955

Reflexões por uma educação ambiental vista de baixo: o cotidiano das comunidades utópicas”

 

Banca Examinadora:

Prof. Dr. Carlos Roberto da Silva Machado (Orientador - PPGEA/FURG)

Prof. Dr. Humberto Calloni (PPGEA/FURG)

Prof. Dr. Rodrigo Barchi (UNISO)

 

DATA: 30 de Setembro de 2016,

às 15hrs

Na sala 4115 – Prédio 4