Aos vinte e sete dias do mês de outubro de 2016 a Comissão de Bolsas do PPGEA se reuniu para definir sobre as Bolsas de Mestrado e Doutorado deste Programa de Pós-Graduação para 2017. Após votação decidiu-se que, havendo a disponibilidade da cota e o bolsista tendo cumprido os critérios estabelecidos e apresentados em 21 de março deste ano (e redefinidos no mês de maio pelos discentes Alana Pedruzzi, Raizza Lopes, Elisângela Madruga, Tamires Podewils, Sérgio Pinho Jr. e Samuel Dourado), sua bolsa será renovada, sua bolsa será renovada. Diante da atual conjuntura política do Brasil, alertamos que há um cenário nebuloso a respeito das cotas de bolsas de pós-graduação no País. Portanto, não há garantia de permanência do número de cotas disponíveis atualmente.

CRITÉRIOS ESTABELECIDOS

1-      A participação nas atividades complementares do PPGEA. Os bolsistas serão informados com antecedência mínima de dois dias e os discentes deverão ter ao final de cada semestre, frequência de no mínimo 75% nas atividades.

2-      Participação em três (mínimo) defesas de Mestrado e/ou Doutorado do PPGEA;

3-      Participação no Grupo de Pesquisa do Orientador, desde que o orientador tenha a prática sistemática de reuniões com seus orientandos.

4-      Participação na organização do EDEA. Para os bolsistas que não estão vinculados enquanto equipe organizadora, deverão participar como colaboradores nas atividades de logística nos dias do evento ou enviar trabalho e apresentar.

5-      Participação em 2 eventos (mínimo) com apresentações de comunicação oral e publicação de trabalhos completos em anais de evento;

6-     Encaminhamento de 1 artigo por ano para periódico Qualis B2 em Educação (mínimo), para doutorandos, exceto no primeiro ano do curso.

Rio Grande, 24 de novembro de 2016.

Carlos Roberto Machado – Coordenador do PPGEA

Paula Corrêa Henning – Coordenadora Adjunta PPGEA (Suplente)

Claudia da Silva Cousin – Membro Docente

Gianpaolo Adomilli – Membro Docente

Sérgio Pinho Júnior – Membro Discente

Tamires Podewils – Membro Discente (Suplente)

Comissão de Bolsas PPGEA

 

O "Colóquio Regional Sul: Ensino Médio Reflexões e Propostas", realizado no dia 4 de novembro, em Porto Alegre, divulga o Manifesto resultante dos debates. O evento foi realizado por iniciativa da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) e da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), e com a participação de representantes destas universidades e da UFPR, UTFPR, UFSC, UFFS, UFSM, UFPel, Unipampa e UFCSPA, sob promoção da Associação Nacional dos Dirigentes de Instituições de Ensino Superior (Andifes). A reitora da FURG, Cleuza Maria Sobral Dias, foi uma das coordenadoras e mediadoras do Colóquio.

Entre as manifestações, encontram-se o pedido de imediata revogação da Medida Provisória 746 e da PEC 55 (antiga PEC 241) da pauta do Senado Federal; a ampiação da discussão com a sociedade sobre as mudanças no Ensino Médio, por exemplo, por meio da promoção de audiências públicas e de consultas públicas, envolvendo sistemas de ensino, instituições federais de ensino superior, pesquisadores,escolas, professores, alunos e entidades representativas e a participação da Andifes nas discussões no Parlamento.

A íntegra do Manifesto do Colóquio Regional Sul: Ensino Médio Reflexões e Propostas encontra-se no arquivo: Manifesto

 

A Educação Ambiental na Formação de Professores do Curso de Pedagogia - UFPA - PARFOR - Altamira-PA”

BANCA EXAMINADORA:

  

Prof. Dr. Luis Fernando Minasi (Orientador PPGEA/FURG)

Profª. Drª. Narjara Mendes Garcia (PPGEA/FURG)

Profª. Drª. Vania Alves Martins Chaigar (FURG)

Profª. Drª. Silvana Maria Gritti (UNIPAMPA)

Profª. Drª. Neiva Afonso Oliveira (UFPEL)

Profª. Drª Juliana Brandão Machado (UNIPAMPA)

 

DATA: 06 de Dezembro de 2016, às 14hrs

SALA: 4110 – Pav. 4 – Campus Carreiros - FURG.

 

Prezados candidatos,

 

Foi publicado no site do SIPOSG o local (FURG - Pavilhão 4) e horário da prova (8h00min) escrita que acontecerá neste sábado (19/11).

 

Coordenação PPGEA

 

Para visualização, CLIQUE AQUI

 

Foi publicado no site do SIPOSG as homologações das inscrições para o Mestrado e Doutorado de 2017.

Para visualização das homologações para o Mestrado, CLIQUE AQUI

Para visualização das homologações para o Doutorado, CLIQUE AQUI

 

Considerando a chamada de greve geral para o dia 11 de novembro de 2016, e com a possibilidade de que não esteja disponível o transporte público, a Universidade Federal do Rio Grande - FURG está suspendendo as atividades acadêmicas e administrativas nesta data.

(Retirado da página da FURG)

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Os docentes deliberaram em sua assembleia indicativo de greve, acompanhe pela página do sindicato informações para mais detalhes.

A Coordenação

 

 

 

Coordenador do PPGEA, prof. Carlos RS Machado faz conferência em "la III Jornadas Interdisciplinarias en Biodiversidad y Ecología (III JIBE) que se realizarán entre el 28 de noviembre y el 2 de Diciembre en el CURE (sede Rocha)" da Universidade de La República/UDELAR, Uruguai, no dia 30 de novembro: Conflitos socioambientais, injustiça e educação ambiental: desafios no sul de Brasil, ver resumo em: http://www.cure.edu.uy/?q=conferencias

Nas últimas duas semanas, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) detectou falhas no sistema de busca dos currículos abrigados pela Plataforma Lattes, sobre as quais, esclarecemos:

 

acesse:

http://cnpq.br/web/guest/noticiasviews/-/journal_content/56_INSTANCE_a6MO/10157/5558802

 

A revista ambiente e educação acaba de publicar seu primeiro número de 2016, e assim atualizando suas edições (v. 21, n. 1 (2016))
 

AMBIENTE & EDUCAÇÃO - Revista de Educação Ambiental

 
A Revista Ambiente & Educação foi criada, em 1996, como espaço de discussão no Programa de Educação Ambiental da FURG. Trata-se de uma revista semestral que pretende agregar, articular, aprofundar e divulgar concepções e práticas na construção dos saberes sobre o meio ambiente, especialmente visando construir uma perspectiva educativa que sustente a diversidade e a complexidade da problemática contemporânea
 

 

 

Para acesso à carta, CLIQUE AQUI

Aula Pública do Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental (PPGEA/FURG)

Dia: 04 novembro de 2016, às 14 horas no pav. 4, auditório 4115.

Tema: O lugar da Educação Ambiental no contexto atual

Roteiro da atividade: O que é o PPGEA? O que é a educação ambiental? E o processo de seleção – edital 2017 (mestrado e doutorado).

Proposição: Coordenação do PPGEA, professores/as e acadêmicos.

 

 Para mais informações, CLIQUE AQUI

 

O programa de pós-graduação em Educação Ambiental abre seleção MESTRADO e DOUTORADO para 2017. Mais informações sobre as linhas e outros procedimentos nesta mesma página.

 

CONFIRA OS EDITAIS CLICANDO NOS LINKS ABAIXO

 

MESTRADO

 

DOUTORADO

ANFOPE

ASSOCIAÇÃO NACIONAL  PELA FORMAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO

                                                      

MANIFESTO CONTRA A MEDIDA PROVISÓRIA N. 746/2016

A ANFOPE – Associação Nacional pela Formação dos Profissionais da Educação – vem a público manifestar-se contra a Medida Provisória nº 746, de 22 de setembro de 2016, que, a pretexto de instituir uma política de fomento à implementação de escolas de Ensino Médio em tempo integral, desorganiza esse nível de ensino, ignorando as discussões anteriores e aquelas em andamento no Brasil sobre os rumos da educação, constituindo grave ameaça à qualidade do Ensino Médio e à formação da juventude brasileira. A MP n. 746 altera a Lei nº 9.394/1996 e a Lei nº 11.494/2007. Esta última regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, o que, na prática, configura um retrocesso de décadas, ao instituir, sob o argumento da flexibilização, o aligeiramento e a precarização desse nível de ensino, descaracterizando a oferta de um Ensino Médio como educação básica e direito de todos.

A ANFOPE afirma que uma reforma imposta por medida provisória é uma atitude autoritária, irresponsável e inadequada para definir políticas educacionais, pois desconsidera o conhecimento acumulado sobre o Ensino Médio, impossibilita o diálogo com as instituições formadoras e entidades científicas do campo da educação, contrariando os princípios do processo democrático. A instalação de uma reforma desse vulto deve necessariamente ser antecedida de debates e embates que incluam, em especial, os profissionais da educação e suas entidades representativas, bem como os estudantes ─ sujeitos da educação.  

A ANFOPE repudia o ataque frontal empreendido à formação e à valorização dos profissionais da educação, uma vez que a MP, ao instituir a contratação de pessoas sem formação específica para o exercício da docência, sem concurso público de provas e títulos, desde que tenham alegado “notório saber”, reforça a desqualificação e a desprofissionalização dos professores, com impactos negativos na qualidade do ensino aviltando, sobretudo, a formação, a carreira e os salários do magistério.

A ANFOPE repudia, ainda, a subordinação às normas e regulações de uma Base Nacional Comum Curricular (BNCC) ainda não aprovada e cuja versão atual impõe uma padronização curricular que não assegura os princípios garantidos pela Constituição Federal (1988), pela Lei N. 9.394/1996 e pelas metas e estratégias do PNE (2014-2024). A MP desconsidera as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (Resolução CNE/SEB 2/2012), ignora ainda o Pacto Nacional pelo Ensino Médio e o Plano Nacional de Educação, demonstrando falta de conhecimento da realidade concreta das escolas brasileiras e dos estudantes de nível médio, configurando-se como uma ameaça à educação básica pública, estatal, gratuita e de qualidade social.

Apoiando as manifestações do Movimento Nacional pelo Ensino Médio, do qual é integrante, a ANFOPE repudia um projeto pedagógico-educacional voltado para adolescentes e jovens que exclui do currículo as disciplinas de Artes, Educação Física, Filosofia e Sociologia, negando-lhes o direito ao conhecimento geral e comprometendo sua formação, a qual deveria ser integral, crítica e cidadã, assegurando-lhes o pleno desenvolvimento intelectual, afetivo, físico, moral e social, com base em princípios éticos e políticos que oportunizem sua emancipação. A proposta de tempo integral apresentada, reduzida a um simples aumento da carga horária de determinadas disciplinas, não contempla a concepção de educação integral.

A fragmentação do ensino médio em “itinerários formativos específicos” fere o direito ao conhecimento para a ampla maioria dos estudantes que se encontra no Ensino Médio público, tendo como falsa justificativa um currículo mais flexível e atraente para o aluno, que vá reduzir as taxas de evasão. Isso, de fato, vai aprofundar a dualidade do Ensino Médio e o aparthaid social dos jovens pobres, negando-lhes a oferta desse nível em igualdade de condições, favorecendo ainda mais a mercantilização do ensino.

Essa é mais uma medida autoritária de um governo ilegítimo que, irresponsavelmente, ameaça a institucionalidade democrática, reduz o direito à educação e nega a luta, a mobilização e as conquistas históricas das entidades que defendem a formação do professor da educação básica na universidade.

A ANFOPE conclama forte mobilização contra a MP n. 746/2016, ao mesmo tempo em que reforça seu compromisso com a qualidade da educação e da formação e valorização dos professores, bandeiras que publicamente defendemos e assumimos.

Goiânia, 12 de outubro de 2016.

 

Caros leitores,


A revista REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental acaba de publicar seu último número, disponível em https://www.seer.furg.br/remea. Convidamos a navegar no sumário da revista para acessar os artigos e outros itens de seu interesse.

Agradecemos seu interesse e apoio contínuo em nosso trabalho.

REMEA 

PEC-PG

Programa irá conceder até 100 bolsas de doutorado para estrangeiros

Publicado: Sexta, 07 Outubro 2016 12:05 | Última Atualização: Sexta, 07 Outubro 2016 12:05

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) divulga nesta sexta-feira, 7, o edital º 23/2016, referente à seleção de candidaturas para o Programa Estudantes-Convênio de Pós-Graduação (PEC-PG). O objetivo do programa é formar recursos humanos para que cidadãos oriundos de países em desenvolvimento, com os quais o Brasil mantém acordo de cooperação educacional, cultural ou de ciência e tecnologia, possam realizar estudos de pós-graduação stricto sensu em instituições de ensino superior brasileiras.

Serão concedidas até 100 bolsas em IES brasileiras públicas ou privadas, de modo a fornecer a capacitação necessária para que o estudante-convênio possa contribuir para o desenvolvimento de seu país.

Aqueles que cumprirem os requisitos descritos no edital têm até 25 de novembro para realizar a inscrição e enviar a documentação exigida. O resultado está previsto para ser divulgado até 31 de dezembro e as atividades iniciadas a partir de fevereiro de 2017.

Os candidatos selecionados recebem bolsa de doutorado, passagem aréa de retorno à capital do país de origem ou de residência do estudante-convênio, isenção de pagamento de mensalidades ou de qualquer espécie de taxa no âmbito acadêmico, assistência médica, odontológica e farmacêutica pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
 
 

A Coordenadora Adjunta do PPGEA, Profa. Dra. Paula Henning, esteve em intercâmbio de estudos na Universidade de Murcia, na Espanha na semana do dia 19 de setembro. Lá esteve em contato com o Prof. Antônio Campillo, Diretor da Faculdade de Filosofia. Após apresentação do Programa de Pós-Graduação de nossa Universidade organizou-se ações e encaminhamentos para firmar o convênio entre o PPGEA e o ProgramaInteruniversitário de Doutorado em Filosofia e do Mestrado Universitário emFilosofia Contemporânea e seus Pressupostos Históricos da Universidade de Murcia. Além disso, estabeleceu-se relações entre o Grupo de Pesquisa Educação, Cultura, Ambiente e Filosofia da FURG e o Grupo de Pesquisa Filosofia e Mundo Contemporâneo da referida universidade espanhola. Com essas articulações caminhamos para um processo de internacionalização do PPGEA com a Universidade de Murcia na Espanha.